"O exílio é uma ruptura com sua
terra, no caso com o Brasil, com o
tipo de trabalho lá desenvolvido, com uma realidade formadora de toda uma vida. Nesse aspecto o exílio é extremamente “cortante”. Mas é também uma integração. Integração com a luta do povo brasileiro, pela qual se paga um preço da ruptura, e integração no conjunto das lutas antiimperialistas – lutas que no meu caso foram também uma descoberta. Talvez o que se aprenda com maior profundidade no exílio é fazer a distinção, entre a dimensão do tempo histórico e a do tempo individual.(...) Só sobrevivem no exílio – produzindo e contribuindo – aqueles que conseguem se impor uma férrea disciplina de trabalho, um
constante voltar-se para o país que deixaram." Leia mais

Abertura do vídeo produzido pela
TV Cultura e TV Câmara. Veja mais

Download de Livros

 
“O Marcio conta o que esse outro Brasil está fazendo com o discernimento do repórter, a agudeza do
analista e mais o cálido envolvimento de um brasileiro reconciliado com seus melhores sentimentos sobre
a sua terra”.

Luis Fernando Veríssimo
“Tenho um apaixonado caso de amor
com o Brasil, com a criatividade de
nosso povo e com a sua diversidade”